WhatsApp invade os negócios*

O Brasil tem mais de 120 milhões de usuários ativos mensais no WhatsApp, segundo a eMarketer, especializada em analisar o setor de apps de mensagens. Seja para conversar com a família, enviar imagens ou vídeos, o aplicativo cada vez mais tem chamado a atenção das empresas. Afinal de contas, se o consumidor não ‘desgruda’ do smartphone, a ferramenta pode ser o meio ideal para se comunicar com este usuário.

A gigante chinesa Tencent, dona do WeChat, tem desbravado o modelo com sucesso. Chamado de superaplicativo, com ele é possível fazer de tudo: pedir comida, pagar contas, marcar consultas médicas, chamar um táxi e até enviar currículo para empresas. Um programa piloto, chamado WeChat ID, armazena os documentos oficiais, sendo utilizado com uma identificação válida em todo território chinês.

A grande estrela, sem dúvidas, é o WeChat Pay. A aplicação é dona de cerca de 33% do mercado de pagamentos mobile na China e permite realizar diversas ações sem sair do app como pagamentos por QRCode, off-line e criptomoedas, além de transferências entre pessoas.

Tudo isso se tornou realidade graças a um ecossistema de mini programas, que são aplicativos desenvolvidos diretamente dentro do WeChat. O objetivo? Tornar-se o único ponto de compras para os usuários.

O WhatsApp tem o potencial para fazer muito mais que o WeChat. Esqueça a tela do smartphone poluída por dezenas de aplicativos, muitos recursos podem ser ‘concentrados’ na aplicação.

Desde que o uso corporativo foi autorizado pelo Google praticamente o céu é o limite. Mas é necessário ter cuidado, seja ao entrar de cabeça ou apenas experimentar o potencial, e utilizar apenas aplicações homologadas pelo WhatsApp. Caso contrário o perigo é ter a conta banida.

Um dos usos mais disseminados é, sem dúvida, a utilização como ponto de contato com o consumidor. Ao invés de instalar um aplicativo ou utilizar o telefone, site ou e-mail para tirar dúvidas, reclamar, comprar produtos, contratar serviços, saber o status de pedidos e requisitar a segunda via de uma conta basta entrar em contato com a empresa via WhatsApp e resolver a questão.

A utilização inteligente do WhatsApp não beneficia apenas o cliente. É possível realizar treinamentos, dar aulas e até aplicar provas. E, se uma dúvida aparecer, basta perguntar ao aplicativo e ter a resposta desejada – 24 horas por dia, 7 dias por semana.

O setor de Marketing pode aplicar diferentes tipos de pesquisas, inclusive criando e gerenciando grupos de participantes com liberdade para o pesquisado responder quando e onde quiser. Já o time de Vendas é atualizado mesmo a distância, recebendo metas e novidades sobre produtos ou serviços.  

Sua dor é ter dados e o desempenho da empresa quando precisar? Esqueça a versão móvel de um BI. Todas as informações necessárias podem ser acessadas pelo WhatsApp quando integrado a um software de inteligência de negócios.

Muito mais simples do que acessar o site ou aplicativo, esperar que ele seja carregado, fazer o login e só aí prosseguir com a demanda desejada. Todos os exemplos de utilizações acima ainda têm um grande benefício: eles são automatizados e não dependem de interação humana!

Isso acontece a partir da utilização de um hub de serviços conversacionais que utiliza Inteligência Artificial, Machine Learning e tem acesso aos sistemas utilizados pela empresa.

O WhatsApp é a ferramenta que faltava no seu negócio. O que falta para a sua empresa ir além?

Por Marcos Abellón, diretor geral da W5 Solutions e criador do hub AnnA que conecta pessoas a sistemas por meio do WhatsApp, Messenger e Telegram.

BI